quarta-feira, 5 de março de 2014

Lesões Não Cariosas: Saiba como Identificá-las!


A maioria das pessoas sabe como identificar uma lesão cariosa (cárie) afinal ela causa dor/sensação dolorosa no dente, principalmente após ingerir alimentos ou bebidas doces, quentes ou frios e geralmente apresentam pontos ou orifícios visíveis nos dentes. Mas e a lesões não cariosas? Como identificar? 

Qualquer pessoa que possua dentes naturais pode desenvolver sinais de desgaste dental, mas muitos pacientes desconhecem suas consequências até que se atinja uma fase avançada. A perda (desgaste) da superfície dos dentes ou lesão não cariosa é um processo fisiológico que ocorre com o decorrer do envelhecimento, mas pode ser considerado patológico quando o grau de destruição cria problemas funcionais, estéticos ou de sensibilidade dentária. O conhecimento da etiologia dessas lesões é importante para prevenir o desenvolvimento de novas lesões, interromper a progressão de lesões já existentes, e determinar o tratamento apropriado. 

Existem quatro tipos básicos de lesões não cariosas: abrasão, atrição, erosão e abfração. 


  • Abrasão é um processo de desmineralização ou perda patológica da estrutura dentária ou restauração, livre de placa bacteriana que ocorre de maneira lenta, gradual e progressiva devido a hábitos nocivos. As zonas cervicais (entre dente-gengiva), as mais afetadas, atingem os tecidos duros dos dentes e promovendo muitas vezes sensibilidade dentinária, exposição e necrose pulpar; 


  • Atrição é definida como o desgaste fisiológico da superfície do dente ou restauração causada pelo contato de um dente com outro durante o processo de mastigação ou hábito para funcional, podendo ocorrer tanto na dentição decídua como na permanente; 

  •  Erosão tem sido descrita como a perda patológica, progressiva da estrutura dentária causada por processo químico sem envolvimento de ação bacteriana. Caracteristicamente a erosão é causada por exposição aos ácidos provenientes de bebidas, sucos de fruta, vinhos, bebidas desportivas, todos os refrigerantes, vinagre, ácidos orgânicos, principalmente o lático, cítrico e málico utilizados na indústria alimentícia. 
  • A abfração é a perda da superfície dentária nas áreas cervicais (área que fica entre o dente e a gengiva) causada pelo excesso de forças tencionais aplicadas sobre os dentes (pode afetar apenas um dente), abrasão do tecido dental duro durante a escovação, erosão química através dos ácidos exógenos e endógenos, paciente com maloclusões, pacientes com bruxismo, utilização de aparelho ortodôntico, em determinados movimentos ortodônticos, dentre outras causas prováveis. A abfração é um exemplo de lesão não cariosa que afeta a região cervical e que não ocorre única e exclusivamente em decorrência da dissolução ácida e da ação mecânica de agentes abrasivos. Apresenta formas bem definidas angulares e em forma de cunha, algumas vezes apresentam localização subgengival. 

Fiquem atentos aos fatores que causam essas lesões! 

Fatores intrínsecos como reflexos gastroesofágicos, vômito frequente típico da bulimia, desgaste mecânico dental decorrente de uma associação de escovação traumática associada com dentifrício (creme dental) abrasivo e consumo de substâncias ácidas, uso de drogas lícitas ou ilícitas, hábitos nocivos tais como o uso frequente de substâncias abrasivas, clareamento dentário SEM supervisão profissional, hábitos de colocar lápis entre os dentes, palitos, cabos de cachimbo, grampos de cabelo, roer unha, cortar linha, uso impróprio da escova de dente e fio dental. 

Os fatores extrínsecos mais comuns são encontrados em nossa dieta. A maior parte das frutas, sucos, refrigerantes e outras bebidas carbonatadas - incluindo as variantes sem açúcar e algumas bebidas lácteas têm um pH baixo. É necessário alertar para o fato de essas substâncias serem ofertadas cada vez mais cedo na alimentação infantil através do seu uso em mamadeiras. 

Dica Ciclo Sorriso: Toda lesão cervical não cariosa precisa do acompanhamento de um cirurgião-dentista. Ele vai avaliar a causa da lesão, a sintomatologia e realizar o tratamento apropriado para cada tipo de lesão. 

Referências: 

Amaral, Simone de Macedo; Abad, Ernani da Costa; Maia, Katlin Darlen; Weyne, Sérgio; Oliveira, Mariana dos Passos Ribeiro Pinto Basílio de; Tunãs, Inger Teixeira de Campos. Título: Lesões não cariosas: o desafio do diagnóstico multidisciplinar / Not carious lesions: the challenge of the multidisciplinary diagnosis. Arq. int. otorrinolaringol. (Impr.);16(1):96-102, fev.-mar. 2012; 

Hara, Anderson Takeo; Purquerio, Benedito de Moraes; Serra, Mônica Campos. Estudo das lesões cervicais não-cariosas: aspectos biotribológicos / Study of noncarious cervical lesions: bio-tribological aspects. RPG rev. pos-grad;12(1):141-148, jan.-mar. 2005.

Esperamos que tenham gostado! Até a próxima quarta!

Ciclo Sorriso para o Ciclo Nutri

Nenhum comentário:

Postar um comentário